REQUALIFICAÇÃO DA ZONA DA ANTIGA ESTAÇÃO DE CAMINHOS-DE-FERRO

12 abril 2019, 2:40 pm
Publicado em Notícias
Ler 387 vezes

obras estacao Decorreu, no dia 11 de abril, a apresentação do projeto e consignação da empreitada de requalificação da zona da antiga estação de caminho-de-ferro, que o Município levará a cabo no âmbito do PEDU, uma intervenção orçada em 994.111,95 euros e que terá uma duração prevista de 540 dias.
Esta empreitada concretiza uma das várias ações constantes no Plano de Ação de Mobilidade Sustentável (PAMUS) que integra o Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU), aprovado por unanimidade pelo Executivo Municipal. Trata-se de um Plano cujo montante global ascende a 17,2 milhões de euros e que será financiado por fundos comunitários.
Em concreto, serão intervencionadas as Ruas Monsenhor Jerónimo Amaral, Augusto Rua, Visconde de Carnaxide e Madame Brouillard, e a Avenida 5 de Outubro. Por ocasião da apresentação do projeto o vereador responsável pelo pelouro do urbanismo, Adriano Sousa, referiu que este projeto “vai mudar radicalmente esta zona da estação, vai devolvê-la às pessoas”. Destacando nomeadamente a atual degradação dos pavimentos e os passeios diminutos.
Do valor total do PEDU, mais de 8 milhões respeitam ao Plano de Ação de Mobilidade Sustentável, que financia exclusivamente ações que promovam os modos suaves, através da requalificação e beneficiação da rede pedonal e da introdução de redes cicláveis em faixa dedicada ou em vias partilhadas. No caso desta empreitada, será construído um troço da futura rede ciclável de Vila Real, dando-lhe início. Este troço ligará, por um lado à UTAD e à ciclovia que ali virá a ser construída também no âmbito do PEDU e, por outro lado, ao centro da cidade.
“Após décadas em que as cidades estiveram voltadas quase exclusivamente para o automóvel, ignorando por completo os direitos dos peões, os modernos paradigmas de gestão urbana advogam a devolução das cidades às pessoas, através da requalificação dos espaços de utilização pública, tornando-as mais inclusivas”, sublinhou o presidente da câmara municipal, Rui Santos. “Para o efeito é necessário existirem espaços públicos adequados, que permitam aos cidadãos circularem livremente pela cidade, sejam crianças, idosos, cidadãos portadores de deficiência permanente ou temporária, ou mães e pais com carrinhos de bebé”, concluiu.
Nesta apresentação os responsáveis políticos realçaram que todas as intervenções foram pensadas com o propósito de criar uma nova cidade, com um conjunto de intervenções coerentes e interligadas com outros projetos que entretanto irão arrancar. O edil Vila-realense afirmou ainda que “não iremos desaproveitar um cêntimo deste grande projeto que é o PEDU”.

Classifique este item
(0 votos)
Login para post comentários