Programa da Biodiversidade de Vila Real lança novo voluntariado em defesa dos anfíbios

biodiversidade_ssapo Iniciativa arranca nos dias 9 e 10 de março

A Câmara Municipal de Vila Real, conjuntamente com o Parque Natural do Alvão, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e o Núcleo de Estudos de Proteção do Ambiente/Associação Académica da UTAD, lançou ontem um campo de voluntariado dedicado à preservação dos anfíbios.
A iniciativa arranca nos dias 9 e 10 de março e conta com o cofinanciamento do Programa Operacional Regional do Norte (ON2), através do Projeto SEIVACORGO. De notar que a preservação dos anfíbios é uma das medidas definidas pelo Plano Setorial da Rede Natura 2000 para a diminuição da mortalidade acidental dos anfíbios. Desta forma, o Município de Vila Real e os parceiros do projeto contribuem decisivamente para a aplicação no terreno das medidas de gestão definidas por aquele Plano Setorial.


Esta ação conta com a participação ativa de um grupo de voluntários, que desenvolverá uma série de trabalhos dedicados à construção de um murete ao longo da Estrada Municipal 313 (junto à Barragem do Alvão), visando sobretudo a diminuição/eliminação da mortalidade acidental causada pelo atropelamento de anfíbios, sobretudo na época reprodutiva, que tem causado uma diminuição assinalável dessa população, em particular do Sapo-comum, segundo investigadores dedicados ao tema.
Com a construção destes muretes pretende-se evitar o atravessamento da estrada pelos anfíbios, canalizando-os para passagens inferiores e possibilitando-lhes o acesso aos locais de reprodução sem riscos de atropelamento. Esta medida dirige-se essencialmente ao Sapo-comum, mas pode beneficiar igualmente outras espécies, como, por exemplo, a Salamandra-de-pintas-amarelas.
A Câmara Municipal de Vila Real e os parceiros do projeto convidam os órgãos de comunicação social e todos os voluntários a inscreverem-se na iniciativa “Salvemos o Sapo”.