topo_dto
banner_fundo---Copy

Nos próximos dias 29 e 30 de julho, o Município de Vila Real encerra o ciclo de workshops de Fotografia da Biodiversidade de Vila Real com a presença do fotógrafo da natureza Rui Guerra.

Rui Guerra nasceu em Lisboa em 1968 e desde muito cedo que passou muito do seu tempo junto ao mar.
A paixão pelo meio subaquático e pelo mergulho surgiram bastante cedo, tendo iniciado as suas primeiras explorações subaquáticas em 1982, ano que marcou um primeiro período de 13 anos dedicados ao mergulho em apneia, no final dos quais se iniciou à fotografia subaquática.
Em 1995 tira a sua primeira certificação de mergulho com escafandro autónomo e até hoje tem procurado sempre evoluir cada vez mais para meios e equipamentos cada vez mais complicados e exigentes, nomeadamente com a utilização de rebreathers de circuito fechado, mergulho descompressivo e mergulho em gruta.

As inscrições para o workshop são gratuitas e devem ser remetidas para o correio eletrónico do Programa de Preservação da Biodiversidade ( Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar ), ou através da ficha de inscrição disponível no site do município (www.cm-vilareal.pt/biodiversidade).


Em 1998 entra pela primeira vez no CampeonatoNacional de Fotografia Subaquática ao qual se seguem 13 anos de competição intensiva nesta área a nível nacional e internacional, sendo o Português que até hoje mais prémios conseguiu neste tipo de competições ("splash-in").

De entre muitas as distinções alcançadas, destacam-se o título de Campeão do Mundo numa categoria, Vice-Campeão do Mundo na geral, seis títulos de Campeão Nacional e diversas medalhas de ouro, prata e bronze em inúmeras categorias e competições nacionais e internacionais.

Desde 2000 que ministra cursos e workshops, sendo Instrutor certificado de Fotografia Subaquática CMAS**, publicando em 2002 o Manual Prático de Fotografia Subaquática (Ed. Dinalivro), único livro técnico escrito em português até à data.
Na área da fotografia subaquática, tem desenvolvido a sua atividade maioritariamente nas áreas de formação, apoio técnico em campanhas publicitárias, acompanhamento de projetos científicos e organização de viagens e expedições, estabelecendo parcerias com diversas entidades nacionais e estrangeiras.

"Somos por excelência o destino da biodiversidade e queremos espelhar as externalidades positivas do nosso vasto património natural".

cinegrafia

Aprender a construir documentários de natureza é o novo desafio proposto pelo município de Vila Real que acolhe o workshop "Introdução à cinegrafia de natureza". O encontro tem lugar no auditório da biblioteca municipal e será orientado pelo fotógrafo profissional Ricardo Guerreiro.
"Introdução à cinegrafia de natureza". É este o mote do próximo workshop que o município de Vila Real organiza nos próximos dias 12 e 13 de julho, das 09h30 às 17h30. Dividido em duas sessões que decorrem no auditório da biblioteca municipal de Vila Real, a iniciativa será orientada por Ricardo Guerreiro, fotógrafo profissional com várias imagens publicadas em livros e revistas, nomeadamente na National Geographic Portugal. Ricardo Guerreiro começou a investir na cinegrafia em 2009, com a recolha de imagens em modo aleatório, e, em 2013, termina, juntamente com o fotógrafo Luís Quinta, o primeiro filme de história natural "Arrábida – da Serra ao Mar" (transmitido na SIC no dia 6 de janeiro 2013).
Durante esses dois dias, os participantes vão se convidados à incursão pela cinegrafia de natureza, com a oportunidade de adquirir informação sobre a elaboração de documentários de natureza. Por outras palavras, vão aprender a captar imagens fotográficas em modo animado (filme). Os conteúdos temáticos serão: introdução histórica de fotografia e cinegrafia de natureza; noções básicas de imagem vídeo; conceitos fundamentais de cinegrafia: tipos de planos, movimentos de câmara, etc.; equipamento; técnicas de campo em cinegrafia de natureza; construção da narrativa; noções de edição e montagem de vídeo. O workshop é destinado a todos os interessados na área, podendo ter experiência em vídeo ou não.
As inscrições são gratuitas e devem ser remetidas para o correio eletrónico do Programa de Preservação da Biodiversidade ( Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar ), estando, contudo, sujeitas a confirmação e a um limite de 15 participantes por workshop. A ficha de inscrição está disponível no site do Programa (www.cm-vilareal.pt/biodiversidade).
A diversidade de biodiversidade em Vila Real torna a cidade e a região um spot privilegiado para a observação e captação de registos fotográficos da Natureza! Estas oficinas de fotografia tornam-se assim uma oportunidade única para os apreciadores da fotografia! Com estas oficinas acolhemos fotógrafos profissionais e oferecemos a possibilidade de cada interessado aprofundar os seus conhecimentos na área e trocar impressões com outros fotógrafos, sejam eles amadores ou profissionais", sublinha Miguel Esteves, vereador com o pelouro do Ambiente na Câmara de Vila Real.
O workshop "Introdução à Cinegrafia de Natureza" está inserido no programa do II Ciclo de Fotografia e Cinegrafia da Biodiversidade de Vila Real, que a autarquia está a desenvolver no âmbito do Programa de Preservação da Biodiversidade. A 27 de julho o município desenvolve o Encontro Nacional de Fotografia e Cinegrafia de Natureza, que encerra este ciclo 2013 com o workshop de Lightroom com Rui Guerra.

ferias bioferias bio2ferias bio3ferias bio4

O primeiro turno do Campo de Férias Desportivas com a Biodiversidade 2013 do Município de Vila Real já abraçou o bom tempo que se tem feito sentir! "Rogas dos Rios do Corgo" e "Quilling da Bicharada" são as novidades deste ano que animaram os mais pequenos que se inscreveram nas ações de sensibilização ambiental, dedicadas à divulgação das espécies emblemáticas de fauna e flora do Concelho de Vila Real, para além de atividades como os Percursos Pedestres Biodiversos e a Caça ao Tesouro da Biodiversidade de Vila Real. Estas ações têm como objetivo principal desenvolver o respeito e o gosto pela natureza, assim como, proporcionar aos jovens um programa com atividades divertidas, seguras e orientadas por profissionais qualificados e experientes. Caracterizam-se pelas suas vertentes educativa, formativa, pedagógica, lúdica, inclusiva, social, inovadora, diversificada, multidisciplinar, apostando na qualidade. Proporcionam não só aventura e recreação, como experiências de aprendizagem e desenvolvimento a todos os níveis.

Nos últimos anos, Vila Real tem vindo a trilhar um novo caminho pela biodiversidade com a implementação do Programa de Preservação da Biodiversidade de Vila Real e na abordagem educativa para a cidadania, ao fazer uma aposta clara e decisiva na valorização do ambiente e do desenvolvimento sustentável.
A conceção do programa de atividades das Férias Desportivas com a Biodiversidade assenta em linhas programáticas orientadoras, nomeadamente:
1. Didáticas – atividades que se destinam à aprendizagem de temas como ecologia, ambiente, energias alternativas, cultura, etc.
2. Inclusivas – atividades cujo objetivo seja o desenvolvimento de competências numa dinâmica de grupo, de aceitação e respeito pelas diferenças, sejam elas de personalidade, raciais, religiosas, físicas, geográficas ou outras.
3. Artísticas e artesanais – atividades cujo objetivo seja desenvolverem o gosto, as capacidades e as competências dos participantes relativamente às artes e aos trabalhos manuais.
4. Formativas – atividades que contribuem para a formação e o fortalecimento de aspetos da personalidade direcionados para o desenvolvimento de cidadania ambiental.
6. Desportivas – atividades destinadas à aprendizagem e prática de modalidades desportivas e desenvolvimento motor.
7. Recreativas – atividades cujo objetivo é divertir os participantes, fomentar o relacionamento participante/participante e participante/monitor, criar um ambiente alegre, descontraído e cooperativo.

workshop paulobarrosEis mais um fim de semana dedicado à biodiversidade em Vila Real. Sexta-feira é apresentado um documentário sobre a evolução da paisagem e da biodiversidade da região, ao longo de 50 anos. Sábado, é a vez de mais um percurso pedestre fotográfico, que segue a "Rota das Pontes", em Lamas d'Olo e conta com orientação de João Cosme, um dos fotógrafos da Natureza mais conceituados do país. As iniciativas estão inseridas no Programa de Preservação da Biodiversidade, promovido pela Câmara Municipal de Vila Real.
"Em meados do século XX, a indústria mineira no Vale da Campeã dava emprego a mais de mil pessoas. Com a falência das Minas de Vila Cova, veio o desemprego, a emigração e a ruína progressiva do complexo mineiro. Mas ganhou vida própria uma lagoa" e todo o local envolvente transformou-se num verdadeiro tesouro de biodiversidade. É esta realidade e riqueza que surpreende no documentário "A lagoa", que será exibido no próximo dia 5 de julho, no teatro municipal de Vila Real, às 22h00. Uma ação aberta ao público e gratuita.

"A Lagoa" é uma produção da Câmara Municipal de Vila Real e do Museu do Som e da Imagem de Vila Real e tem como objetivo mostrar a importância da biodiversidade na vida humana e sensibilizar as pessoas para a preservação da fauna e da flora. São 39 minutos que retratam a evolução da paisagem e da biodiversidade de Vila Real, ao longo de 50 anos, na freguesia de Quintã e no Vale da Campeã (onde ficará instalado o futuro Observatório da Biodiversidade de Vila Real). A partir de um conjunto de depoimentos, procura-se construir a história da exploração mineira no Vale da Campeã, a sua ascensão e declínio, integrando a componente ambiental e a biodiversidade, bem como a sua evolução ao longo desse processo.

ercurso Pedestre fotográfico "Rotas das Pontes"

No dia seguinte, 6 de julho, João Cosme, um dos fotógrafos da natureza mais reconhecidos do país, é um dos orientadores do passeio pedestre fotográfico "Rota das Pontes", em Lamas d'Olo. João Cosme é fotógrafo profissional de natureza e vida selvagem, com fotografias já publicadas em inúmeras revistas nacionais e internacionais, como a National Geographic Magazine-Portugal, a Notícias Magazine, a Asferico-Italia, a Naturaleza salvage-Espanha, entre outras. Vai explicar técnicas de fotografia relacionadas com a natureza.
A iniciativa, que é aberta ao público e gratuita, tem como objetivo observar algumas espécies de morcegos, alguns deles com estatuto de proteção. Daí que, além de João Cosme, o percurso pedestre "Rota das Pontes" será acompanhado por Paulo Barros, técnico do laboratório de Ecologia Aplicada da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), especialista em conservação de recursos faunísticos e estudos de impacto ambiental com especial incidência nos mamíferos (incluindo morcegos) e invertebrados.
O percurso pedestre inicia junto à ponte da estrada do Barreiro, seguindo por outros dois caminhos, um na nova variante e outro a montante do rio Olo, junto à aldeia de Lamas d'Olo.
O passeio realiza-se das 08h30 até às 13h30, com ponto de encontro na praça do município e transporte gratuito para todos os participantes. As inscrições devem ser feitas na página oficial da Câmara Municipal de Vila Real (http://cm-vilareal.pt/bio_diversidade/). Os participantes devem levar roupa leve, fresca e adequada a conseguirem entrar no rio (calções e sandálias/botas de borracha), já que o objetivo é ver os morcegos debaixo da ponte. Devem também levar água e um pequeno lanche.
Este é mais um circuito que o município vai integrar na rede de percursos dedicados à biodiversidade. Vila Real é um município que devido à sua localização e condições naturais, acolhe uma invulgar variedade de espécies e habitats com interesse reconhecido e tem vindo a apostar na sua afirmação como Destino da Biodiversidade em Portugal.
Esta são mais duas ações desenvolvidas no âmbito do Programa de Preservação da Biodiversidade de Vila Real, cofinanciada pelo Programa Operacional Regional do Norte (ON2).