topo_dto
banner_fundo---Copy

mural biodiversidadeJúri escolheu o trabalho "Parede da Vida" da Escola Morgado de Mateus
O concurso juvenil "Mural da Biodiversidade" instituído pela Câmara Municipal de Vila Real no âmbito do Programa da Biodiversidade já tem resultados. Este concurso, destinado às escolas do 3º ciclo e do ensino secundário de Vila Real contou com a participação de 17 trabalhos, que foram analisados pelo júri do concurso, composto por Rogério Rodrigues (Diretor Regional do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas), Margarida Alves (autora da escultura Oliva, exposta no Parque Corgo), José Armando Ferreira (Professor do Ensino Secundário) e Carlos Feliciano (Diretor do Jumbo de Vila Real).
O desafio lançado às escolas consistiu na seleção de um projeto artístico (pintura) alusivo ao tema da biodiversidade, que será materializado num espaço público da cidade de Vila Real. O local escolhido é uma parede situada no Parque Corgo, na qual estará patente o projeto classificado em primeiro lugar. A execução do mural é da responsabilidade dos autores do projeto, que contam com o apoio do Município, que fornece os materiais para a sua execução.
Dos 17 projetos apresentados a concurso o júri escolheu por unanimidade o trabalho designado "Parede da Vida", elaborado por alunos da Escola Morgado de Mateus, que utilizaram como pseudónimo "Os Vitrinistas de Gaia". Em segundo e terceiro lugares foram escolhidos dois trabalhos pertencentes a alunos da Escola Camilo Castelo Branco, respetivamente "A Borboleta Azul", do grupo "Rafa" e "A Vida na Montanha", pertencente ao grupo "LRMR e DMCO". De referir ainda que o júri decidiu atribuir uma menção honrosa ao projeto "Manchas Efémeras", produzido pelo grupo "Olhos Chuvosos".

thecla betulae

Castanhinha-das-bétulas captada na Campeã é o primeiro registo conhecido em Portugal
Vila Real volta a ser notícia como destino da biodiversidade. O registo fotográfico de um indivíduo adulto da espécie Thecla betulae (Linneaus, 1758), de nome vulgar castanhinha-das-bétulas, foi captado no Vale da Campeã (Vila Real) e é da autoria de José Agostinho. Tanto quanto foi possível apurar, trata-se das primeiras fotos de elevada qualidade obtidas em Portugal com recurso a uma reflex e lente macro.
José Agostinho é um fotógrafo amador que se tem dedicado a registar imagens de natureza. O seu interesse por este tema nasceu sobretudo pela participação nas atividades promovidas pela Câmara Municipal de Vila Real no âmbito do Programa da Biodiversidade, programa cofinanciado pelo Programa Operacional Regional do Norte (ON2).
O autor faz questão de contar o instante desta captação: "a história desta fotografia começou cerca de um ano antes de ter premido o obturador da minha Nikon, no preciso momento em que fui desafiado a participar num passeio fotográfico organizado pelo Programa da Biodiversidade, promovido pela edilidade, em colaboração com a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Esse primeiro contato com o Programa fez-me aderir entusiasticamente a um conjunto de ações por ele promovidas, nomeadamente as integradas no ciclo de workshops ligados à fotografia e cinegrafia da biodiversidade de Vila Real. Os ensinamentos aí colhidos, junto dos fotógrafos Luís Quinta, André Brito, João Cosme, Rui Guerra e Ricardo Guerreiro deram-me maior capacidade técnica no âmbito da fotografia e levaram-me a prestar melhor atenção à realidade da flora e fauna presentes nos habitats naturais que frequento. Portanto, não foi por acaso que tinha uma câmara fotográfica a meu lado, na tarde de sete de Agosto passado, enquanto me entretinha a rachar lenha no meu quintal. Já algo habituado a seguir o voo de aves e insetos, os meus alvos preferidos durante o Verão, reparei no voo rápido de uma borboleta desconhecida, oscilando entre o preto e o laranja e no pouso dela num abrunheiro de pequeno porte. Segui o seu percurso nos ramos, fotografei-a assim que tive oportunidade e não pensei mais nela, até porque a tarde se revelou fértil em oportunidades para fotografar belíssimos exemplares de Argynnis pandora, entre outros.

Continuar...

workshop

Sessões decorrem entre 22 e 24 de abril e são dirigidas a profissionais da área
A reabilitação das margens dos cursos de água é uma das preocupações atuais de diversos técnicos ligados ao setor. A utilização de técnicas que promovem o uso de material vivo na reconstrução de margens tem vindo a ser implementada em diversos países, com resultados satisfatórios e que permitem a preservação da fauna e flora típicas, mas que promovem igualmente um benefício na estabilização de terras e na preservação de galerias ripícolas e o adequado uso dos recursos hídricos.
O Município promoveu uma reabilitação nas margens do rio Corgo durante o ano de 2013, integrado no âmbito do Programa da Biodiversidade de Vila Real. No decurso desta iniciativa, a Câmara Municipal resolveu organizar dois workshops dedicados ao tema da reabilitação de margens ribeirinhas.
O primeiro, destinado a assistentes operacionais, decorre no dia 22 de abril e tem uma duração de 7 horas. O segundo, a realizar nos dias 23 e 24 de abril, com a duração de 14 horas, é dedicado aos técnicos que se dedicam a executar projetos nessa área. Ambos os workshops vão decorrer na Agência de Ecologia Urbana (Bairro dos Ferreiros).
O programa de cada um dos cursos está disponível na agenda do Município. As inscrições (limitadas e gratuitas) podem ser feitas através do endereço eletrónico Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar ou através do telefone 259 308 190, até ao dia 17 de abril de 2015. O preletor destes workshops é o Professor Doutor Pedro Teiga, Doutor em Engenharia do Ambiente.

angulos complementares

Entre 13 e 19 de abril Vila Real recebe 5 dos mais reputados profissionais da área da fotografia e cinegrafia de natureza, que vão captar a essência das paisagens, da flora e da fauna de Vila Real, com uma partilha de conhecimentos, técnicas e saberes.
O projeto Ângulos Complementares reúne Luís Quinta, Ricardo Guerreiro, Rui Guerra, João Cosme e Alexandre Vaz, com a participação de Tiago Magalhães, fotógrafo Vila-Realense que tem vindo a destacar-se nos últimos anos na temática da fotografia de natureza, cujo tema principal são as espécies de Vila Real, sobretudo as borboletas.
Estarão em destaque das paisagens de montanha aos rios que correm nos vales, das espécies emblemáticas das grandes aves aos pequenos insetos, captando a beleza do espaço natural noturno ou a vida e o ambiente subaquáticos.
A apresentação pública deste projeto ocorrerá no dia 17 de abril, às 21:00 horas, contando com a presença de todos os fotógrafos envolvidos que apresentarão algumas das imagens já recolhidas, bem como, darão conta da sua perceção sobre a biodiversidade de Vila Real. O encontro é aberto ao público e decorre no Centro de Ciência de Vila Real (Parque Corgo).
Este projeto de fusão experimental vai resultar na produção de um livro sobre a biodiversidade de Vila Real, associado a uma exposição itinerante a desenvolver pelo Município.
A entrada é livre e as inscrições podem ser feitas através do e-mail Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

 

muralpetiz

O Serviço de Ambiente e Mobilidade do Município, em parceria com o Grupo Auchan-Jumbo de Vila Real, Fotonil e Foto Digital Brutim, lançam duas novas iniciativas para a promoção do Programa da Biodiversidade de Vila Real.
A I edição do Concurso de Pintura Juvenil, subordinada ao tema "Água Livre – como valorizamos os nossos ecossistemas ribeirinhos, a flora e a fauna!", aberto à participação de todos os alunos do 3º ciclo e secundário do concelho (ver regulamento neste link), decorrerá de 11 de novembro a 22 de março de 2015.
Este concurso culminará com a pintura de um Mural da Biodiversidade, a realizar no período de 22 de abril 2015 (Dia da Terra), a 29 de maio 2015 (Dia Nacional da Energia). A inauguração do painel decorrerá no Dia Mundial do Ambiente, a 5 de junho de 2015, no Parque Corgo.

O I Concurso Juvenil de Fotografia é aberto a crianças e jovens com idades compreendidas entre os 6 e os 14 anos (ver regulamento neste link), a nível nacional, tendo como terma a "Biodiversidade Petiz – como a espreitamos e compreendemos o nosso património natural!".
O concurso de fotografia decorrerá de 11 de novembro a 22 de abril de 2015, e terminará com a exposição das fotografias na semana de 5 a 30 de junho de 2015, na Agência de Ecologia Urbana ou num espaço público oportunamente anunciado.
Criar uma imagem irreverente que transmita a modernidade e que enquadre mensagens alusivas à promoção da Biodiversidade de Vila Real, a mais-valia do património biológico do concelho e a perceção de um bem vital para a sobrevivência dos ecossistemas, estimulando o gosto e a criatividade dos mais novos, bem como o desenvolvimento de aptidões artísticas e visuais na vertente ambiental, são o mote para o lançamento destas iniciativas.